Ela Era Estranha!?

Ela era… Era… diferente. Não, não era apenas diferente. Ela era estranha. Joaquim aguardava apenas decidir-se sobre se era uma estranheza boa ou má. Positiva ou negativa. Claro que ser diferente é bom. É positivo. Definitivamente positivo. Ser-se diferente é destacar-se dos outros, sobressair-lhes, ser-se mais notório e objeto de observação. Por vezes, certo tipo de diferença suscita mesmo admiração, ou inveja, mas isso depende muito da formação e do carácter de cada um. Diferente é estranheza domesticada. Ser diferente … Ler mais

Lamejinhas À La Mode ou Apenas Uns Bonitos Caracóis

Escusa de queimar o brócolo – até porque a receita não carece disso, ainda que demande outros ingredientes –, uma vez que se limita a lamejinhas. Quanto a estas, explicamos-lhe já de que se trata. Ora, a lamejinha é apenas um tipo de concha com um nome ridículo. Dizem os entendidos em zoologia, não nós, claro, que apenas entendemos de tudo o resto, que a Scrobicularia plana, de seu pomposo nome científico, é um molusco bivalve de concha quebradiça … Ler mais

O Asno e a Carga de Sal ou o Chico Muito Pouco Esperto

Começava a estar saturado. Como se não houvesse naquela empresa outro funcionário – qualquer outro, atenção, não precisava de ser um CEO ou outro aglomerado de letras em caixa alta –, que não ele, para o trabalho árduo. Sentia-se verdadeiro burro de carga e acreditava mesmo, ao ver-se ao espelho, que já lhe cresciam as orelhas. Não fora esse assunto de uma outra história, e asseguraria que era mesmo verdade, que já se assemelhava ao jumento que o faziam sentir-se. … Ler mais

Espetadas na Gralha

Reinventamos um clássico popular com a ‘garça’ que nos é muito própria. Fartos da grelha, de toda a logística incendiária das brasas que se pavoneiam nas praias, das acendalhas – esse sucedâneo das naturais pinhas –, do fogo de vista dos fósforos, que perdem a cabeça por dá cá aquela palha, do medo desta, da palha, que no tórrido verão propaga fogos por este mundo fora, optámos por uma receita com aromas de pós-modernidade e acento na gralha, seja ela … Ler mais

Tira-Nódoas

Era apenas um nano-micro ponto de ínfimo tamanho, mas ainda assim demasiado e irritantemente visível na sua nova blusa de seda branca. Seda branca. A estrear. “Dá para acreditar?” Ester repetia a pergunta olhando fixa e agressivamente aquele bico de agulha. Não passava disso mesmo. Um quase nada. Não chegava à patente de gota, nem sequer de pingo. Apenas um nico, abaixo de sarda, abaixo de quase tudo, mas tão visível e incómodo, logo acima do peito, onde o podia … Ler mais

Migas de Batata-Doce, Chouriço e Tomate

Pelo nome, parece daqueles pintxos ou tapas espanholas, com nomes grandes e sabores pequenos, não é? Qualquer coisa que, se nos aventurarmos a imaginar como se confeciona, poderá não andar longe de uma tortilha de batata-doce. Ficamos logo sem grande vontade, mas como somos fãs de batata doce e de aventuras gastronómicas, aqui nos têm ao dispor, para dissecarmos mais este prato que se propõe adulterar as clássicas e irrepreensíveis migas de pão alentejano. Enfim, um dia não são dias. … Ler mais

O Gato a Doninha e o Coelho ou Como a Ingenuidade Não Salva Vidas

A estratégia era boa. Muito boa. A mensagem forte, acessível e bem-humorada. Pelo que conhecia do cliente e por tudo aquilo que lhes tinha sido passado no briefing – aliás, nos vários briefings, que a empresa era poderosa e exigente –, Ismael Coelho sabia que o seu projeto seria o vencedor. Pelo menos a sua ideia, ainda que pudessem querer alterar pormenores. O conceito era imbatível. Há coisas que se sentem, que conseguimos olhar de fora, mesmo quando nascem cá … Ler mais

« Older posts

© 2020 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑