Mês: Julho 2017 (pagina 1 de 2)

Quando Ele Era o Outro

Sempre que o correio lhe trazia mais uma conta para pagar – fosse de eletricidade, água, gás, condomínio, empréstimo bancário ou outra, o que tanto era válido para o correio tradicional como para o eletrónico, ou até por via de recados deixados por baixo da porta pela vizinha Hermengarda, pouco familiarizada com qualquer um dos anteriores métodos de transmissão de mensagens, e sempre necessitada de deixar os seus pareceres sobre os mais diversificados temas relativos à boa vizinhança –, Joaquim … Ler mais

Coisas da Podologia

Ler mais

Francesinha à Moda do Porto

Concebida originalmente como plano para trazer Françoise Hardy até à Invicta e, uma vez aí, convencê-la a servir ao balcão num requintadíssimo estabelecimento de sandochas, mesmo sem prática ou vontade – apenas como chamariz de clientela –, a receita nasceria, afinal e precisamente, do fracasso desse engenhoso e ardiloso plano. À falta da dita cuja francesa, mas sem se sentir derrotado pela falta do seu principal ingrediente, o artista dos tachos decidiu, ainda assim, magicar uma associação de ingredientes a … Ler mais

Realidade Aumentada, o Que É e Para Que Serve?

Na vida real, que é aquela que nos importa e com a qual temos de lidar, a Realidade Aumentada, está bom de ver, refere-se a volumetria e quantificação e pouco ou nada tem de diversão, exceto para aqueles que adoram gozar com terceiros ou mesmo segundos, ou ainda primeiros. Assim, para que nos situemos com clareza de definições, os gordos estão para a vida real, como a Realidade Aumentada para o mundo virtual, pelo que a realidade aumentada que aqui … Ler mais

Muffins de Mirtilo

Ui! Até custa a pronunciar, não é?! É para verem o nível a que aqui chegámos, no que à terminologia e ao estrangeirismo diz respeito. E este é muito (o respeito, claro). Muffins (lê-se ‘mafinece’, sem qualquer sílaba acentuada) são assim, tipo… apenas queques armados ao pingarelho. Uns bolos secos preparados em unidoses ou, como agora por aí se diz, em monodoses. Caso não tenha formas adequadas, faça-os em pequenas chávenas de café ou chá, que vai dar no mesmo … Ler mais

A Lebre e a Tartaruga ou Apenas Duas Mulheres em Busca de um Rumo

Maria Tartaruga semicerrou os olhos. Não era um tique, longe disso, nem visava qualquer propósito sexy. Sabia bem que qualquer tentativa sua nessa direção – da sensualidade e do chamamento do sexo oposto com maneirismos femininos –, era desastre garantido. Mais do que isso, era humilhante, para si e para quem assistisse. Era desprovida de toda e qualquer ferramenta de marketing sexual e absolutamente inapta no que aos princípios básicos do sex appeal diz respeito. Não que os desconhecesse, … Ler mais

Coisas da Praia

Ler mais

Tarte de Queijo e Bacon Romântica

Ricos sabores provençais ou meramente rústicos. Há lá coisa melhor do que unir os odores fortes do queijo à gordura ‘colestroica’ do bacon? Ai há? Teremos de falar sobre isso numa próxima oportunidade. Comece por fazer uma massa de tarte. Junte-lhe queijo fatiado e bacon aos cubinhos. Envolva tudo muito bem. Forre com esta massa uma tarteira. Leve ao forno pré-aquecido, a uns quantos graus, pois frio não adiantaria coisa alguma. Deixe cozer. Sirva às fatias e acompanha com … Ler mais

Coisas do Estrelato e da Decadência

Ler mais

Camafeus

Camafeus são lindos e encantadores rostos, quase sempre perfis, esculpidos no gesso ou noutro material igualmente precioso, numa superfície convexa de formato redondo ou oval, que serve para ornamentar anéis, pendentes para fios, ou alfinetes de peito. Chamam-se camafeus pois, na verdade, são objetos medonhos e não se encontrou melhor substantivo para os nomear. Hoje, dado o movimento hipster e a assunção valorativa do dito vintage (velharias, em bom português, que nunca chegarão a antiguidades, dado o pouco valor comercial … Ler mais

Older posts

© 2017 Absinto Muito

Topo ↑