Mês: Setembro 2018

Se Petúlia Soubesse…

Se Petúlia soubesse que não era filha do homem a quem sempre chamara pai toda a sua vida, mas sim de um ex-patrão da mãe, um empresário multimilionário que fez pouco caso daquela gravidez imprevista, mas provável, dada a falta de cuidado ou uso de qualquer método contracetivo – preocupações impróprias para pequenos devaneios sexuais à hora de almoço de um grande homem de negócios –, a qual resolveu como tudo o resto na sua vida: passando um cheque chorudo … Ler mais

Coisas da Fatalidade

Ler mais

Empadão de Nabo de Carne de Bacalhau com Puré de Grão-Mestre

Todas as receitas de alma e pendor totalmente contemporâneo, não se limitam a cozinhar ingredientes, elas também mesclam palavras e seus antónimos, ou quase, com habilidades gramaticais de chef, os quais tentam mostrar-nos toda a nossa pouca sofisticação e o seu gigantesco know-how, apenas por enunciar-se o nome das suas criações culinárias. Desconcertante, este é um desses maravilhosos casos da alarvidade gastronómica do momento, em que os cozinheiros insistem em ser chefs, não percebendo que acima destes … Ler mais

O Poço Encantado ou o Moço Desdentado

A cigana olhou para a criança e sorriu de forma entristecida. O que via agradava-lhe. Era-lhe por demais familiar. Era um rapaz de olhos negros e fundos e cabelo cor asa de corvo. Podia ser um dos seus. Podia ser do seu sangue. Não era. Mas poderia ter sido. Inclusive, poderia ter sido seu. Todos os seus filhos tinham esses mesmos olhos infinitos e insondáveis e o cabelo, se lavado com a frequência deste pequeno, seria da mesmíssima cor e … Ler mais

Coisas do Estilo

Ler mais

Lombos de Pescada à Padeiro

Depois dos Lombinhos à Fiscal da EMEL esta é a receita com mais tweets do momento. Sim, os yuppies são já dinossáuricos e já nem os dicionários urbanos deles se recordam. Os olhos voltaram-se para o passado mais distante, o básico, o tradicional, o simples e depurado e decidiram reinventá-lo, adaptá-lo e, porque não, mastigá-lo. Esta receita é o pináculo desse novo olhar sobre aquilo que servimos à mesa e um piscar de olhos às profissões que agora idolatramos: profissionais … Ler mais

PerfeitaMente! (Ou Talvez Não)

Nos anos ’80, rendeu-se ao cubo mágico, um quebra-cabeças que jamais solucionou além de uma das faces do estúpido cubo, que de mágico tinha muito pouco e de bruxaria tinha tudo. Aquilo era coisa do Demo. Como a sua avó sempre disse: “O Diabo esconde-se nas pequenas coisas.” Pois ele ali estava, pintado de pequenos quadrados coloridos, para lhe infernizar a vida e mostrar quão limitado era o seu QI, se é que a inteligência na sua globalidade e não … Ler mais

Coisas do Abecedário

Ler mais

Salada Salvé César com Molho Pesto Olá Cleópatra

Há quem se fique por Cesários, molhos peste e cleptomaníacas (ou cleptómanas, caso prefira), mas aqui, é sabido, primamos pela exclusividade e pela sofisticação. O melhor, sempre. Este é o nosso lema e dele não prescindimos. Assim, procure um César – o Júlio já morreu, aqui há atrasado, pelo que tem mesmo de encontrar outro – e deixe que seja ele a fazer a salada, para que obtenha o produto genuíno. Caso não consiga, ou não simpatize muito com o … Ler mais

Bela-Feia e Feia-Bela ou Como o Desemprego Também é um Emprego… Mal Pago

A fase Bela-Feia

Sempre gostara de chuva. Era o fenómeno mais próximo da pura magia, da quase feitiçaria, que alguma vez lhe foi dado a conhecer. Água pura que desce dos céus. Limpa. Cristalina. Fria. Lágrimas das pesarosas nuvens. Recados dos deuses. Nunca se cansava de chuva, nem mesmo quando as cheias ocupavam capas de jornais ou horas infinitas de telejornais. Era água, senhores. E água é vida, mesmo quando também pode ser morte. Atente-se no caso de Noé. Os … Ler mais

© 2018 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑