Agora, sim, avançámos para o inédito e estupidamente surpreendente universo dos improváveis, novamente. Habituados a ver a nobre hortelã a ser usada e abusava como mero enfeite no topo de bolos e restantes sobremesas, ou, mais atrevidamente em cocktails com abunfante álcool e também na versão sem, resolvemos voltar a dar-lhe o lugar que merece e que lhe é devido nos pratos principais: o de prima ballerina. Destronámos o eterno morango e os omnipresentes frutos do bosque do cheesecakeLer mais