Categoria: + Contidianos (pagina 1 de 5)

Contidianos: Substantivo muito indefinido (porque definir já é delimitar), do género que mais aprouver (que somos por todos os tipos de liberdade), em número que se quer sempre muito pluralista (na medida em que quantos mais, melhor).  Sobre eles dizem os mais eruditos, e alguns tolos também: “Um Contidiano por dia, não sabe o bem que lhe fazia!”

Um dia Inesquecível Para Esquecer

No seu minúsculo berço, os Segundos choravam a bom chorar, se bem que o mais correto seria a mau chorar. Não que chorassem mal, até mostravam alguma perícia e certo pendor para aquela atividade gutural, que já lhes parecia vir da mais recôndita gruta gástrica, tal era o empenho e o esforço despendidos em tal tarefa. Mau, apenas porque isso estava a stressar a pequenada mais crescida, que tentava dormitar na divisão ao lado, com os Minutos já em plena … Ler mais

Ainda Hoje de Manhã…

Sorriu com amargura. Reconhecia bem aquilo que lhe ia no peito, apertando-o, estrangulando-o, fazendo-a sentir-se patética e humilhada. Constrangida. Minguada. Reconhecia bem o sentimento, mas não o compreendia. Recusava-se quase a aceitá-lo. Não pertencia a si. Não naquele momento. Não naquele lugar. Desfasado e extemporâneo. Fora de tempo e espaço adequados. Como podia estar a sentir-se assim, se… Nada daquilo fazia sentido. Porém, quanto mais pensava no justificado desajuste, no muito que havia em tudo aquilo que apenas jogava a … Ler mais

Cuidado Com o Degrau

Não queria dar nome àquilo. Àquela coisa, mas, a cada dia que passava, tornava-se mais e mais premente que o fizesse. Que nomeasse aquela lapa, aquele pensamento obsessivo que a ela se agarrava logo que tomava consciência matutina de que já estava acordada e que era ela, regressada ao seu corpo de sempre e à vida de todos os dias, e que com ela se deitava até, já quase de madrugada, quando fechava os olhos, mais de cansaço do que … Ler mais

Coração Desmesurado

É curioso. Há notícias que não são apenas pedaços de informação. Há coisas que assinalam, no nosso percurso de vida, um antes e um depois, impondo que não consigamos ser, em absoluto, a mesma pessoa que éramos, ou entendíamos ser, antes da tomada de conhecimento deste ou daquele facto. Podemos fingir. Tentar enganarmo-nos, com diligências e artifícios mais ou menos eficazes. Ludibriar a memória, fazer de conta que é tudo um grande equívoco ou até um enorme disparate. Uma mentira. … Ler mais

Não Estava Habituada a Ser Feliz

Não podia ser tudo verdade. Sabia que a felicidade não existe sozinha, em absoluto. Não é uma cor patenteada. Um objeto visível. Não é um facto. Não é palpável ao tato, nem descritível por palavras. Pertence àquela família disfuncional dos sentimentos. É volátil. Difícil de estabilizar. Difícil de identificar, até. Nem sempre se percebe o que é, como é, de onde vem, de que é feita. Menos ainda quanto tempo vai ficar. É instável e caprichosa. Cheia de amuos e … Ler mais

Azar é Não Ter Sorte

Tinha tido a sorte de praticamente ter nascido órfã. Uma mais-valia para toda a vida. É sabido como é penoso assistir ao envelhecimento, à decrepitude, à perda de faculdades de gente que muito se ama. Vê-las, lenta e paulatinamente, a perder faculdades e capacidades, saúde e esperança é doloroso, já para não dizer dispendioso. Entre cuidados médicos e lares, exigências de assistência constantes, pesos na consciência, por se acreditar que não se está a fazer o suficiente, ou frustrações e … Ler mais

E depois, isto!

Henrique

Voltou a olhar pelos binóculos de visão noturna. Uma sofisticada engenhoca, com possibilidade de se adaptar à cabeça, tal como um capacete mágico, que parecia tirada do equipamento profissional de um soldado norte-americano, ou um muito credível adereço de uma qualquer série militar, daquelas que enchem os canais TVSéries e Fox Crime. Mas não era de brincadeira, era bem real. Tinha-a comprado no eBay, pelo que o mais certo era pertencer à primeira hipótese. Talvez já tivesse feito algumas … Ler mais

DeoParfumSpray

Costumava ter olho para a coisa. Saber exatamente ao lado de quem se sentar, com vista a uma viagem tranquila e segura. Sem que alguém ousasse meter conversa. Ou se atrevesse a sorrir, num tolo convite a uma impossível troca de palavras àquela hora da manhã, ou outra hora que fosse. Sem que as pernas começassem a roçar uma na outra. Sem intimidades ou grosserias. Sem incómodos, portanto. Aquele tipo tinha-a enganado. Completa e totalmente. Apenas um ar de asseadinho. … Ler mais

Amor com Amor se (A)Paga

ELE conta que não demorou mais do que cinco segundos a apaixonar-me perdidamente por ela. Nem tanto. Logo que a viu, mesmo antes de os seus olhos se afundarem nos dela, ele já a amava. Uma certeza insana que lhe vinha do fundo da alma, do centro do pensamento, do núcleo profundo das verdades não comprováveis, como se fosse uma evidência matemática. Como se escutasse uma voz muda que simplesmente anunciava, entre o excitado e alívio: “Aqui está a mulher … Ler mais

SmartSex, iDiotLove

Parada no trânsito. Nem para, nem arranca. Apenas parada. Uma fila a perder de vista e o rádio a anunciar um brutal choque em cadeia, devido à má visibilidade. O denso nevoeiro impedia-a de avaliar a real dimensão de tudo aquilo, mas a total imobilidade, há já mais de uma hora, e o trânsito de condutores em deambulação pedonal, como sombras fantasmas, pela autoestrada, sublinhavam e confirmavam a gravidade de tudo aquilo que não lhe era permitido ver. A manhã … Ler mais

Older posts

© 2018 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑