Categoria: + Contidianos (page 1 of 8)

Porque Não Te Acalmas?

Encontrou o melhor e o pior do mundo logo no primeiro ano de escola. Uma galáxia de coisas para aprender e a vontade, o desejo e a determinação obsessiva de tudo querer absorver e dominar. Tudo saber. Não tudo, claro. Não tudo. Também isso aprendeu. Podia apenas aprender uma ínfima parte. Teria de ser seletiva e escolher bem. Isso teria ainda de aprender. A escolher. Enquanto não o fazia, o espanto. A maravilha. Tudo à sua frente. Uma estrada aberta … Ler mais

Incapaz de Matar?

Como sempre, o jantar alongava-se na exata proporção do interesse da conversa e do álcool consumido, sendo este último, a bem da verdade, bastante inferior à intensidade da conversa e à duração da refeição. Convém atentar neste detalhe, para que, mais à frente, não se salte precipitadamente para conclusões abusivas e falsas. Digamos que, no restaurante, em breve seríamos os últimos, que o entusiasmo da conversa já incluía o dono do restaurante e o chefe de mesa, e que o … Ler mais

Porque Eles Não Entenderam

Ela acreditava em Deus. Assim, sem mais. Seria, eventualmente, a sua crença mais metafísica ou espiritual, para não dizer mesmo a única. Tudo o resto em que acreditava tinha de ser palpável, sensitivo, ter uma existência real ou solidamente provada. Seria, de alguma forma, observável e passível de formulação científica. Podia decorrer de uma mente lógica e absolutamente racional ou seria apenas típico de uma pessoa básica, que tudo resume ao ver para crer, sem espaço a pensamento crítico, a … Ler mais

Organização de Festas Surpresa Para Adultos

Esta é a história de como, por portas e tendas travessas, começou a mais emblemática e celebrada empresa de organização de festas surpresa para adultos.

Um ano antes

Asdrúbal mal podia esperar pelo dia da festa. Andava envolvido na organização do aniversário do seu companheiro/futuro marido/amante que aconteceria daí a precisamente um ano. Meio século de vida, quase vinte dos quais enquanto inseparáveis parceiros de andanças mil. Entregara tudo nas mãos de uma empresa internacional, que quando o pretendido é … Ler mais

Old chApp

O que aquilo o divertia. Ver-se assim, mais velho. Tão mais velho que parecia a sua avó materna, agora com 97 anos. Igual, igual, que quando as pessoas chegam a demasiado velhas, por vezes até antes dessa última velhice, perdem-se os traços distintivo de género, tal como estes são igualmente ilegíveis nos bebés. Ficamos todos iguais, a lembrar-nos de que não há diferenças, apenas carne e osso e já pouco mais. Muitas vezes já nem há memórias, ou crenças ou … Ler mais

Gostava de Vos Falar Dela

Gostava de vos falar dela. Desta mulher, quero eu dizer. Tenho o peito cheio dela e de coisas dela, e de como lhe aconteceram, e de como as relata, e da cor que lhes dá, e do vocabulário que emprega para as contar com vivacidade e humor. Tenho a cabeça cheia de histórias inacreditáveis que lhe aconteceram, ou que sucederam a gente que conhece de perto, ou que apenas inventa para manter a atenção da sua audiência. Sim, claro, ela … Ler mais

E Se Tivesse Sido Ela?

Não era a primeira a ser traída. Meus Deus! Na história da humanidade, na listagem de todas as traições já cometidas, qual seria o seu número? A contabilidade já devia ir em infinito mais qualquer coisa. Pior do que a traição em si – um ato que pode apenas indignar a vítima, que assume um ponto de vista, uma afetação e uma dor que ninguém mais se atreve a experimentar, não por falta ou excesso de empatia, mas por, eventualmente, … Ler mais

O Maior Espetáculo do Mundo

O juiz olhava-a agora nos olhos. O atraso na sua respostas levou o altivo homem, de voz enfadada e inesperadamente aguda, a olhá-la fixamente. Percebeu que talvez estivesse a sorrir. Estaria? Talvez estivesse e fosse isso que exasperava agora o juiz.

– Jura dizer a verdade?

Percebeu que talvez já lhe estivessem a perguntar isso há demasiado tempo. Não aceitavam a demora na resposta, ou talvez apenas não compreendessem o seu dilema. Culpava o colega de trabalho por toda aquela … Ler mais

Hemo-Análise, Socio-Terapia

Ali estavam. De novo, mas mais velhos. Sempre. Cada dia mais velhos. Tomavam os lugares de sempre, quase sempre pela mesma ordem de chegada. Os mais velhos chegavam mais cedo, invariavelmente a horas. Tomavam os cadeirões de sempre. Os respetivos, por assim dizer. Respetivos nesse turno. Os respetivos de outras pessoas nos turnos seguintes. Era sempre assim. Não valia a pena inventar. Dona Idalina já se tinha “posto à vontade”, como sempre diz. O mesmo é sinónimo de fato de … Ler mais

Ele queria ir mais longe. Ela queria chegar mais perto

Do género pragmático, racional, organizado e ambicioso, Eduardo viu-se um dia numa estranha encruzilhada. Perdera-se de amores e encontrara-se de desejos por uma curiosa criatura, um quase alienígena, uma alma desgarrada, presa a um universo fixo e ficcionado, como aquele que os livros e a história nos dizem ter existido no século XIX. Tão preso a coisas que ficaram lá atrás como o telefone com fios. Claro que funciona, que confere segurança, que aquece o coração com compressas de nostalgia … Ler mais

« Older posts

© 2019 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑