Categoria: + Contidianos (page 2 of 9)

O Maior Espetáculo do Mundo

O juiz olhava-a agora nos olhos. O atraso na sua respostas levou o altivo homem, de voz enfadada e inesperadamente aguda, a olhá-la fixamente. Percebeu que talvez estivesse a sorrir. Estaria? Talvez estivesse e fosse isso que exasperava agora o juiz.

– Jura dizer a verdade?

Percebeu que talvez já lhe estivessem a perguntar isso há demasiado tempo. Não aceitavam a demora na resposta, ou talvez apenas não compreendessem o seu dilema. Culpava o colega de trabalho por toda aquela … Ler mais

Hemo-Análise, Socio-Terapia

Ali estavam. De novo, mas mais velhos. Sempre. Cada dia mais velhos. Tomavam os lugares de sempre, quase sempre pela mesma ordem de chegada. Os mais velhos chegavam mais cedo, invariavelmente a horas. Tomavam os cadeirões de sempre. Os respetivos, por assim dizer. Respetivos nesse turno. Os respetivos de outras pessoas nos turnos seguintes. Era sempre assim. Não valia a pena inventar. Dona Idalina já se tinha “posto à vontade”, como sempre diz. O mesmo é sinónimo de fato de … Ler mais

Ele queria ir mais longe. Ela queria chegar mais perto

Do género pragmático, racional, organizado e ambicioso, Eduardo viu-se um dia numa estranha encruzilhada. Perdera-se de amores e encontrara-se de desejos por uma curiosa criatura, um quase alienígena, uma alma desgarrada, presa a um universo fixo e ficcionado, como aquele que os livros e a história nos dizem ter existido no século XIX. Tão preso a coisas que ficaram lá atrás como o telefone com fios. Claro que funciona, que confere segurança, que aquece o coração com compressas de nostalgia … Ler mais

Quando o Telefone Tocou

Não sabia há quanto tempo ali estava. Importaria isso? Já não teria qualquer interesse. Para quem quer que fosse. Nem mesmo para si. Ainda assim, perdeu-se estupidamente em cálculos através dos quais revia todo o trajeto desde que saíra de casa, tentando perceber quanto tempo passara. Quanto tempo passara desde que galgara o insignificante gradeamento, uma barreira praticamente infantil quando avaliada pelo desespero. Quanto caminho teria sido consumido/galgado pelos ponteiros do relógio desde que ali chegara, determinado, e se prostrara … Ler mais

O Bebé Estava Quase Pronto Quando…

– Chamem o Baby Designer, imediatamente!

O tom era perentório. Azedo e imperativo. Não admitia atrasos ou justificações. Nem mesmo justificações plausíveis, que certificariam a justeza de atrasos ou, mesmo, a própria impossibilidade de cumprir a ordem, ou falta de obrigação de o fazer perante outra maior urgência. Sim. Aquilo não era um pedido. Uma mera solicitação. Aquilo era uma ordem expressa e clara. Não contemplava respostas outras que não fosse a presença imediata do Baby Designer no gabinete do … Ler mais

Valter Gate, Economato, Ratoeiras e Um ou Outro ET

Tudo se passou, umas vezes mais outras vezes menos, como aqui o descrevemos, e resume-se, e agora, sim, isto é verdade, a muito pouco: Valter cuidava das canetas e do papel de impressão numa empresa que não utilizava nem umas nem outro, num grande armazém onde magicava elaboradas e inúteis ratoeiras, para apanhar extraterrestres. E pronto, esta é a versão curta da história, na qual já se diz tudo, mesmo tudo, o que há para saber sobre Valter. Mas elaboremos … Ler mais

No Final Daquele Dia

Tomás

No final daquele dia, Tomás sabia bem o que iria acontecer e preparava-se para o pior, ou, pelo menos, assim pensava, pois o pior era, nessa ainda simples manhã de quinta-feira, algo bem diferente do que acabaria por se revelar ‘o pior’. Não sairia do gabinete de Filipe Soares sem a sua indemnização. Transferência feita online, à sua frente ou dinheiro vivo, saído diretamente do cofre da empresa, onde ia parar parte do crédito malparado, depois de cobrado à … Ler mais

Aquilo Que Mais Queria

Adorava o turno da noite. Não sabe até porque ainda lhe chamava turno da noite, já que não trabalhava a outra hora, pelo que era apenas o seu normal horário de trabalho. Tudo era diferente à noite. O gigantesco aeroporto tornava-se casa e a casa de verdade deixava de a atormentar. A violência verbal dos pais era abafada pelo atrativo som dos motores dos últimos aviões, ou seriam os primeiros? Os olhares abusivos do tio materno não passavam ali pelo … Ler mais

As Coisas Que Fazemos

Na mesa ao lado, uma americana falava alto e alarvemente, como, de resto, todos os norte-americanos fazem, principalmente aqueles que vamos encontrando fora dos Estados Unidos. Como se, hoje, meio mundo e mais um quarto não compreendesse tudo aquilo que é dito ou escrito em inglês. Será que falarão igualmente tão alto, sem respeito pelos circundantes, sem consideração pela sua própria privacidade e daquilo que vão debitando, quando estão nas cercanias das suas casas? Usarão dos mesmos altos índices de … Ler mais

O Dia Em Que Também Eles Fizeram Greve – Uma Bizarra Distopia

O encontro há muito que vinha sendo preparado. Ainda que mantido em silêncio, não era propriamente um segredo, apenas algo que necessitava de amadurecimento e maior número de correligionários para que, quando anunciado publicamente, surtisse na comunicação social o efeito desejado: estrondoso.

O mais aguerrido era o Sindicato dos Doentes Terminais. Com menos a perder do que todos os outros sindicatos do país, tinha sido o primeiro a apoiar a proposta da Associação de Doentes Infetocontagiosos. Uma ideia que, inicialmente, … Ler mais

« Older posts Newer posts »

© 2020 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑