Categoria: Histórias Infantis para Adultos (page 1 of 7)

O Príncipe do Mar e Aquele Outro Que Ela Não Viu

Príncipe do Mar. Não precisou de ouvir mais. Estava tudo dito. Tudo esclarecido. Falaram em príncipe. Juntaram-no a mar. Que mais se poderia acrescentar? Nada mais. Não para si, que sempre procurara um príncipe entre os homens. Não para si, Mar-Ia, que já trazia o mar e o verbo nome, e sempre que o mar ia ou vinha, ela ia e vinha com ele. Maré acima, maré abaixo, como o bater do oceano que vivia no seu peito. Ora bravo … Ler mais

O Rapaz do Cavalinho Branco ou as V(e)ias do Desassossego

Certo dia, quando regressava a casa, inaugurando um novo trajeto, um pouco mais longo, mas bem mais prazenteiro, um rapaz encontrou um soberbo cavalo branco. O animal debruçava-se sobre as águas de um magérrimo curso de água, que separava a meio um pequeno prado de flores silvestres, como um perfeito risco num cabelo com brilhantina. Ainda que aquele percurso rodeasse a cidade, e percorre-se uma zona campestre, salpicada, aqui e ali de hortas semiurbanas, encontrar um quadrúpede por aquelas bandas … Ler mais

Os Três Vestidos Que Eram, Afinal, Quatro e Outras Questões de Sexo

Pode dever-se à cabala ou apenas a uma enorme falta de imaginação, o certo é que, mais uma vez, não conseguimos contornar o número três, dito perfeito por pitagóricos, e mais não sei o quê por outros indivíduos. Nada temos contra o dígito, nem em si, nem fora de si, mas depois dos três porquinhos, das três velhinhas, das três fadas madrinhas, a casa dos três ursos, das três mentiras da avozinha… Ainda bem que os anões eram sete, caso … Ler mais

Quem Se Quer Casar Com o Estrupício?

Comecemos pelo início, que é sempre, senão a melhor, pelo menos a mais acertada forma de o fazer, principalmente quando não se tem muito jeito para algum ofício, o que pode bem ser o nosso caso. Assim, o verbo casar-se apresenta o ‘se’ inerente sempre que se pretende dizer que alguém SE (cá está ele) quer casar com outro alguém, independentemente do sexo, que é bem sabido que os novos modelos de família são inclusivos e bastante desempoeirados, admitindo várias … Ler mais

A Princesa e o Sapo – O Conto para Batráquios

Esta é a história real – uma vez que inclui títulos reais, verdadeiros, segundo garantem escritos antigos sobre o tema – de uma princesa e da forma extraordinária como quase conheceu o seu homem encantado, também ele príncipe, ou conde, para dar mais credibilidade a tudo isto, que as palavras no papel ganham um poder mais assertivo do que o mero blá, blá, blá da oralidade. Além disso, a realidade é sempre mais incompreensível e bizarra do que a ficção, … Ler mais

O Cavaleiro da Dinamarca ou antes, o Ginete da Noruega

Depois do muito celebrado Cavaleiro da Dinamarca, o seu primo norueguês, também ele garboso cavaleiro de andanças por este mundo fora, que outro mundo ainda está por descobrir, relata, aqui e em exclusivo, a sua história. Prontos? Ora, então, aqui vamos nós a trote rumo a esse magnífico, surpreendente e relaxante relato de aventuras mil deste bravo ginete.
Ginete, já agora, é um substantivo masculino antepassado do bem mais comum cavaleiro, mas como tudo isto aconteceu antanho, a opção foi … Ler mais

O Tesouro do Ceguinho (Spoiler Alert): É Não Ver

É verdade. Já não se diz cego, pior ainda ceguinho, que é mesmo o cúmulo de todos os pináculos, porque não é inclusivo. Agora, o correto é falar em invisual, perdão, isso também foi aqui há atrasado, o correto é pessoa com deficiência visual. Acontece que entendemos que há vários tipos de insuficiência ou deficiência visual, sendo a mais grave, não a total cegueira, mas as vistas curtas, já que estas encurtam tudo o resto na vida, enquanto a cegueira … Ler mais

A Noiva do Príncipe Sério

Ela era a noiva e ele era sério. A história, a bem da verdade, quase poderia ficar por aqui, mas não somos de dececionar. Parece que também era príncipe, mas isso pode ser um exagero, romantização exacerbada, resultante da paixão que ela nutria por ele. Sim, da paixão. O amor é bem mais racional e avisado, como ela percebeu mais adiante. Aqui, reportar-nos-emos apenas a dados suscetíveis de prova, pelo que a protagonista será apenas Noiva e ele será apenas … Ler mais

As Três Mentiras da Avozinha Ou Como os Velhos São Apenas Jovens Com Mais Anos

Não se tinha conseguido esquivar. Há mais de dez anos, desde que a avó tinha ficado viúva, mas muito alegre, diga-se em abono de certa verdade, que todas as quintas-feiras almoçava com ela e esta semana não seria exceção. O único problema é que Javier, o amigo madrileno, só estaria em Lisboa nesse mesmo dia e queriam muito rever-se.

– Qual o problema de almoçarmos os três?, tinha sido a resposta-sugestão, tanto de Javier como da avó. De facto, perante … Ler mais

Peter Pan e o Cogumelo do Tempo(ral)

Peter Pan – Pedro Pancrácio segundo o registo civil – era um nanico de gente. Estava ali entre o seminanismo e o infantiloide, mas nada que lhe retirasse a grandeza de sonhar alto. Tão alto que, jurava ele, voava acima dos outros. Não era assim tão leve quanto isso, e ainda que muitos dele tivessem pena, devido aos seus extraordinários devaneios, não era pena suficiente para lhe dar sustento nas asas. Digamos, a bem da verdade, que não era tolo. … Ler mais

« Older posts

© 2019 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑