Page 2 of 21

Bife ‘Há’ Café

Ui! Outra receita para básicos. Compre bife do animal que mais lhe aprouver. Cozinhe-o à sua maneira e vá comê-lo para um café. Logo, tem bife e há um café.

Quer algo mais elaborado? Pois, então, aqui vai outra: compre bife do animal que mais lhe aprouver. Cozinhe-o à sua maneira, mas acrescentando-lhe café. Mais uma vez, existe um bife e há café.

Outra ainda: Compre bife do animal que mais lhe aprouver. Cozinhe-o à sua maneira e, a meio … Ler mais

Ainda Ninguém Sabia

Ainda ninguém sabia. Não saber é bom. Só assim se dá continuidade à normalidade das coisas. Quando se sabe mais do que o suposto, não se age com normalidade. Age-se em função daquilo que se sabe, quase extemporaneamente, ludibriando ignorâncias, saltando etapas, respondendo fora do contexto comum, visando coisas que a mera banalidade do dia a dia não permitiria almejar, e provocando desfechos em função do conhecimento que se tem, ou apenas tendo em conta coisas mais que se julga … Ler mais

Coisas da Idade e da Doação

Ler mais

Açorda Chiquérrima de Espargos Bravos com Aromas de Quelque Chose

Se não é barra, ou sequer trave, nem mesmo argolas, em línguas estrangeiras – as de vaca não entram nesta receita –, nem ouse aventurar-se nesta intrincada gramática do palato. O menor erro ortográfico ou de concordância ou até um mero deslise de má pronúncia, e a receita gora-se num milésimo de segundo, tal como a atração perante a falta de um dente frontal num qualquer sorriso. C’est la vie mes amis! Feito o reparo e deixado o alerta … Ler mais

O Velho, o Rapaz e o Burro ou A Mulher Que Todos Eles Amou

Não entendia tanto drama em torno de um assunto que apenas a si dizia respeito. Um assunto privado, praticamente íntimo. Porque haveria toda a gente de ter uma opinião sobre o tema? Porque debitavam postas de pescada para cima da sua vida? Logo ela que sempre soubera o seu lugar e esse era dentro das paredes da sua existência e não a espreitar a janela dos outros, menos ainda a dar-lhes palpites sobre decoração ou a criticar-lhes a escolha das … Ler mais

Coisas do Tempo

Ler mais

Queijadas Alentejanas do Alentejo

Numa pequena valise, coloque algumas peças de roupa e prepare-se para ir de fim de semana para o Alentejo. Se já lá está, não deixe de sair de casa e rume para uma outra localidade dentro da mesma província. O ideal seria um simpático turismo rural, ou a casa de uma tia ou amiga dessas poéticas paragens, mas aceitamos qualquer sugestão que lhe sirva. Vai precisar de um horror de coisas – isso mesmo, e não apenas de um … Ler mais

Lembra-te de Esquecer, Esquece-te de Lembrar

Se me amas, lembra-te de esquecer aquele dia. Tu sabes qual. Aquele em descobriste mentiras nas minhas verdades. Falta de concordância na minha sinceridade. Gralhas no meu amor por ti. Erros ortográficos na minha honestidade. Mas isto não é um ditado. Nem tu te podes colocar no lugar de corretor automático. Por isso, lembra-te de esquecer aquele dia. O dia em que soubeste que te traí com aquele que dizes ser o teu melhor amigo. Mas também tu não és … Ler mais

Coisas da Letra G

Ler mais

Pica-Pau de Mentira com Cerveja e Perdigotos de Verdade

Esta não-receita não é para meninas ou estômagos sensíveis de qualquer um dos géneros. Pica-pau é uma ave que levanta questões morais e ecológicas, pelo que, se não quiser enveredar por esse tipo de assassínio, mate antes um porco e corte pedaços da sua carne para uma frigideira. Frite bem com todas as coisas que achar simpáticas para o efeito da fritura. Misture cerveja com abundância – já imagino os mais sensíveis e sóbrios com os seus esgares de nojo. … Ler mais

« Older posts Newer posts »

© 2017 Absinto Muito

Topo ↑