Page 3 of 34

Salada Salvé César com Molho Pesto Olá Cleópatra

Há quem se fique por Cesários, molhos peste e cleptomaníacas (ou cleptómanas, caso prefira), mas aqui, é sabido, primamos pela exclusividade e pela sofisticação. O melhor, sempre. Este é o nosso lema e dele não prescindimos. Assim, procure um César – o Júlio já morreu, aqui há atrasado, pelo que tem mesmo de encontrar outro – e deixe que seja ele a fazer a salada, para que obtenha o produto genuíno. Caso não consiga, ou não simpatize muito com o … Ler mais

Bela-Feia e Feia-Bela ou Como o Desemprego Também é um Emprego… Mal Pago

A fase Bela-Feia

Sempre gostara de chuva. Era o fenómeno mais próximo da pura magia, da quase feitiçaria, que alguma vez lhe foi dado a conhecer. Água pura que desce dos céus. Limpa. Cristalina. Fria. Lágrimas das pesarosas nuvens. Recados dos deuses. Nunca se cansava de chuva, nem mesmo quando as cheias ocupavam capas de jornais ou horas infinitas de telejornais. Era água, senhores. E água é vida, mesmo quando também pode ser morte. Atente-se no caso de Noé. Os … Ler mais

Coisas da Entoação e do Desconhecimento

Ler mais

Aletria Convencional Disruptiva

Aletria, para quem aterrou no planeta culinária há apenas duas colheres de sobremesa, é a filha mais nova do esparguete. Para os que adoram uma metáfora mais bélica ou apenas militar, digamos que a aletria está para o esparguete como o cabo raso para o general, ou seja, ainda lhe falta músculo e experiência para chegar lá. Satisfazendo agora os mais literatos, esta massa é a versão liliputiana do esparguete, todo ele mais encorpado e orgulhoso do que a pequena … Ler mais

Isso Vai Lá Com o Bico de Uma Faca

Em toda a sua vida, o único instrumento, ferramenta ou auxílio de que alguma vez necessitara esteve sempre à distância da gaveta dos talheres, no bico de uma faca, no fio de uma navalha. Jamais lhe falharam. Jamais desapontaram. Mesmo velhas, mesmo ferrugentas, mesmo rombas. Com elas enfrentava o pescoço resistente de uma galinha em vésperas de ser canja, os tenros caules da couve para o reconfortante caldo que se quer verde, o parafuso que teima em não rodar, a … Ler mais

Coisas da Criminalidade

Ler mais

Caldo Verde de Outras Cores

É um clássico, verdade? É, sim senhor. Faça tufão ou chuva de estrelas, cai sempre bem. Está para as sopas como a Bairrada para o leitão, ou algo do género. Nesta senda pelas paisagens tradicionais da típica cozinha de nossos avós, aqui fica a sopa mais sopa de todo o Portugal e ilhas adjacentes, incluindo Berlengas, Selvagens todos os ilhéus e ainda aquelas outras ‘desocupadas’. Mas porque o nosso olhar é fresco, distinto e visionário e ainda porque os novos … Ler mais

Gulliver, o Homem Montanha ou Aquele Colosso de Indivíduo

Preso a uma cama de hospital, onde descansava um estranho, inexplicável e profundo coma, Gulliver assemelhava-se a um raro, ou até já extinto, mastodonte de outras eras e de estranhas paisagens terrestres. Uma montanha de matéria humana, um promontório de gente. Um colosso disputado por feiras de horrores e outras macabras atrações. De costas, estirado naquela cama minguada, por onde todos os seus membros escapavam, para enorme desassossego de enfermeiras e equipa médica – o que acabaria por forçar macas … Ler mais

Coisas do Tamanho

Ler mais

Sopa Fria de Cenoura e Laranja com Crème Fraîche de Salsa

Ui! O que esta receita tem de sofisticação e de lições de francês já dava para satisfazer o palato mais requintado. Vai precisar de dicionário de francês, mas antes disso, faça a sua sopa de cenoura preferida e deixe-a arrefecer. Adicione-lhe laranja ou apenas sumo desta – vai depender da espessura que quiser dar ao caldo – e, só depois, o crème fraîche, que é um produto lácteo, diríamos nós, entre o requeijão e a manteiga, estamos em crer, … Ler mais

« Older posts Newer posts »

© 2018 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑