Olha para o telefone. O ecrã diz-lhe de quem se trata: Teresinha.

– Olá amor do pai.

– Pai, ele está a bater-me. Pai, ajuda-me.

– Ele quem, Teresinha! Quem filha?

– Ele, pai, o Mário… Ai, bruto…

Do outro lado da linha não veio mais informação útil. Um transeunte prestável avisou em que rua estava.

– Teresinha, querida, não saias daí que o pai já está a caminho, vou apanhar o autocarro e logo, logo estou aí. Não saias … Ler mais