Exige-se uma ressalva inicial ao relambório que se segue: não sou de caldeiradas. Não sou mesmo! Não desgosto, mas… não rejeito, mas… não deito fora, mas… Em qualquer tipo de caldeirada, acrescento sempre este enervante ‘mas’. Ou seja, não sou uma pessoa caldeirada-friendly. Havendo o que quer que seja além de caldeirada, eu opto por isso. Sempre. Invariavelmente. Sempre que a caldeirada se enfeita de pão frito ainda paro um segundo naquela linha de menu, mas, depois (lá está o ‘mas’) parto logo por ali abaixo.

Talvez por isso, aquela segunda repugnância, a de misturar carne e peixe no mesmo tacho, já não foi tão impactante, uma vez que já tinha a minha dose de sentimentos contraditórios, assim que sugeri a mim mesma cozinhar uma caldeirada. Dizem os entendidos que devemos enfrentar os nossos medos, pelo que, farei o mesmo com as minhas repugnâncias gastronómicas. E lá que misturar carne e peixe num único prato é uma grande caldeirada, lá isso é muito verdade. E já que é para fazer, que seja épico!

Pois bem, agora, sim, avancemos.

A favor da receita devemos dizer que faz parte do conceito de comida reconfortante, com aromas tradicionais e aquele cheiro caseiro tão aconchegante. Tem caldo e tudo, pelo que já estão a ver o género. É ainda uma receita do tipo enfarta brutos, a não ser que opte por um empratamento somítico-gourmet tão irritante quanto contemporâneo, naqueles restaurantes que desnivelaram por completo a proporcionalidade entre aquilo que se paga e aquilo que se come.

Decorrente do facto de não ser fã de caldeirada, não posso afiançar que saberei fazer uma. O que se segue é uma adaptação da caldeirada de peixe à setubalense, a qual, dentro do género, é das melhorzinhas.

Assim, e por esta ordem, coloque no fundo da panela ou tacho camadas alternadas de:

– Cebola

– Batata

– Peixe

– Grão

– Cebola

– Batata

– Carne

– Grão

E por aí fora até esgotar os ingredientes. Parece que também leva tomate e pimentos. Deve colocá-los junto da camada que melhor lhe aprouver. Pronto. Está feito!

Pode acompanhar com pão frito em azeite, que é sempre uma ótima refeição, só por si (e por mim, e por quem vier por bem).

Ingredientes:

– Peixe

– Batatas

– Cebolas

– Carne

– Pão

– Coisas para fritar o pão

Tempo de preparação:

Parece que é simples e nem por isso demorado.

Partilhar