Categoria: Risota de Gambas (Page 4 of 25)

O que é o ‘comer’? É um verbo, mas estas não são receitas para ‘chefs’ da gramática. São dicas hilárias para todos aqueles que não sabem o que é quinoa, desconhecem por completo as sementes de chia e nunca viram bagas de goji na vida. Já agora, não tente nada disto em casa, ou em qualquer outro lugar!

Sopa Caramela Sem Caramelos

Há receitas honestas, humildes, amigas do seu amigo e esta é uma delas. Se julga que vai aprender a fazer uma sobremesa ou bolo para o lanche, fica logo elucidado, pois a pobrezinha, esclarece logo tudo, dizendo ao que vem: é caramela, sim senhor, mas não tem caramelos. Isto porque – e aqui vai mais um pedaço de conhecimento avulso, que brota da nossa erudição – se designa zona Caramela à área compreendida entre o Rio Frio e Pinhal Novo, … Ler mais

Sopa de Tomate da Faixa de Gaze Para Que Deixe o Borrego em Paz

É o melhor tomate do mundo. Nada se lhe compara, na medida em que chega ao mercado, quando chega, já naquele estado ideal de maturação, de apalpamento, esborrachamento e esmagamento, daí a necessidade de alguma gaze, para manter tudo no sítio, ou quase. Há quem se perca por tomate de Gaza, mas nós, depois que descobrirmos o de gaze, já não nos deixamos enganar pelas vogais. É o tomate ideal para esta receita, pelo que não comece já a inventar … Ler mais

Suflê de Bolo de Mel Com Frutos Molhados

Não estava à espera disto, confesse. Confesse depois, agora dê atenção ao que se segue, pois vai valer a pena. Vai ser uma trabalheira, mas vamos lá, que preguiça não mora aqui. Tire já os ramekins do armário. Não se assuste. Ramekins são apenas pequenas taças de cerâmica próprias para ir ao forno. Vamos partir do princípio de que já tem um bolo de mel feito em casa, para não ficarmos aqui eternamente. Comece, então, por esfarelar o bolo com … Ler mais

Secretos de Porco Soviético Com Migas ou Outros Companheiros

O que mais desejávamos no mundo, do fundo do coração, além de acabar com a guerra e a fome no planeta inteiro, era poder partilhar esta receita consigo, mas não podemos. Como se explica, são procedimentos secretos, do mais sigiloso e delicado que existe, pelo que não contem connosco. Já nos basta a Siri, a Alexa, agora o Putin-Que-Pariu, mais os espiões do Le Carré e a vizinhança pidesca a cuscar sempre que trazemos um porco para o apartamento. Esta … Ler mais

Mil Folhas Com 999 Folhas

A receita é complexa e toda a dificuldade se situa ao nível da dosagem da massa, para obter a porção exata para 999 folhas, quando tudo está calibrado para as clássicas mil folhas da receita original, inalterável há quase três séculos, 287 anos, mais precisamente.

Ahahaha. É tudo mentira! É muito simples, na verdade, ou mais ou menos, que a verdade está sempre naquilo que queremos dela fazer, não é? Então, faça a massa folhada, corte em mil folhas, deite … Ler mais

Mousse de Manga de Alpaca

Um pouco de história. Esta é uma receita que há muito encanta a função pública, bem como pessoas, como eu, que sonham com a possibilidade de ter ADSE. É uma mousse muito delicada, que poderia ser feita em cinco minutos, recorrendo apenas a uma única colher, uma faca e uma tigela, mas que propositadamente, para efeitos de progressão na carreira e de passar o tempo de expediente sem demasiado esforço, se alonga desmesuradamente. A maior delicadeza consiste precisamente no tempo … Ler mais

Canja de Conquilhas?

Adoramos um bom, ou mesmo mediano desafio. Perdemo-nos por um quebra-cabeças. Pelamo-nos, de verdade, por uma charada. Sentimo-nos, até, atraídos por um contrassenso. Isto, todavia, vai muito além de tudo isso. Este é um labirinto sem saída, daqueles infernais ao estilo de Kubrick, em Shining, ou outros com jardinagem mais cuidada. Como avançar para uma canja quando, por definição clássica e até tradicional, esta exige galinha? Pode dizer-se caldo de galinha, mas logo que se diz canja, esta já dispensa … Ler mais

Peras Bêbedas Que Nem Um Cacho

Alerta à navegação: o álcool é para as peras, daí se adjetivarem de bêbedas que nem cachos, e não para o cozinheiro. Se reparar, a receita nem fala do cozinheiro, quanto mais das doses de álcool que lhe estão destinadas. Nós só percebemos cabalmente essa parte depois, pelo que… enfim, faremos o melhor que conseguirmos.

Tem peras? Estão bêbedas? Parecem, não parecem? Agrupam-se, na sua alegre perceção, que nem uvas num tacho? Perdão, num cacho? Então já tem tudo. A … Ler mais

Bochechas de Porco Preto Que Só Comeu Bolotas

O primeiro reparo surge na forma de pergunta: Porquê bochechas? Há assim tanta necessidade de aproveitar todo o centímetro de matéria orgânica do animal? É assim tão imprescindível descarnar-lhe as faces? Só me ocorrem as pungentes criações de Francis Bacon – curiosamente também ele com nome de fumeiro suíno –, com os seus descarnamentos de genialidade talhante. Acontece que essas são para admirar, para embarcar em temas filosóficos sobre a moral, a beleza e a arte e discutir e argumentar … Ler mais

Pudim Frei de Priscos

Somos castos. Somos, por isso, pela modéstia, franciscanismo e ordens religiosas mendicantes, pelo que despromovemos cabalmente o abade e dedicámo-nos aos freires – até porque adoramos sandálias. Assim, abreviámos os procedimentos, baixámos a ostentação, moderámos o lume e reduzimos os ingredientes, que isto de gastar dúzias de ovos e ingerir terabytes de calorias já teve os seus dias e vai melhor com jesuítas do que donas de casa e gestores de despensa desesperados por fazer cumprir o orçamento mensal. Assim, … Ler mais

« Older posts Newer posts »

© 2024 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑