Strudel de Caracoletas e Gengibre… Hummm!

Não estava à espera, pois não? Nós também não. Mas como passar ao lado deste título sem nele nos retermos? Como conseguir não experimentar tal gourmelandia? Como não correr para a cozinha e pôr em prática tão macabro plano? Como não salivar de estupidificante expectativa quando nos deparamos, numa só frase e quase sem intervalos de permeio, com estas três iguarias? Em que lâmpada se escondeu o génio que deu à culinária a possibilidade de reunir a delicada e estaladiça … Ler mais

Aquele Homem na Praia  

Não me recordo exatamente. Não consigo precisar se percebi primeiro quem ele era, ou antes quem me parecia que pudesse ser, e, por causa dessa coincidência, passei a prestar atenção àquela família recém-chegada à praia, ou se o meu obsessivo voyeurismo foi espoletado muito antes de tudo isso, com a frase: “Deixa-te de merdas, que ainda agora chegámos, ouviste?”, proferida, em voz alta e descompensada, por um pai e dirigida a uma das três crianças que o acompanhavam. A mais … Ler mais

Arroz de Polvo Sacanita

Se é para ser malandrinho, que seja logo sacana, que as coisas pela metade ou agarradas a diminutivos são enervantes e não nos levam longe. Isto, claro, se o objetivo é ir mais longe. Pode preferir ficar por perto, ou ir longe, mas devagar. Cada cabeça é um mundo, mais ainda a de polvo.

O arroz sacana distingue-se dos restantes por ser mais difícil de lidar com ele. Requer água que baste para cozer e outra porção para nela ficar … Ler mais

A Andorinha e as Outras Aves e Ainda Alguns Patos Bravos

Os rostos começavam a dar sinais de enfado. Metade da redação já dedilhava nos telemóveis. Combinações para a hora de almoço que se aproximava, consultas de e-mail, respostas urgentes relativas a assuntos de trabalho, ou pessoais, eventualmente um ou outro jornalista jogava para se entreter, que quando a palavra enfado foi inventada destinava-se, seguramente, a situações como aquela. Uma estucha semanal. Culpa do diretor, com aquele tom pesaroso e monocórdico, a dar espaço a que todos interrompessem, dando voz a … Ler mais

Rissóis de Coisas Boas e Médio Boas

Ainda está por inventar um prato mais democrático do que o bom do rissol. De peixe, de camarão, de carne, de legumes, com coisas frescas, com sobras de ontem ou de amanhã, com ingredientes quase em fim de linha, mas que no meio do barulho da frigideira ainda apuram inesperados sabores, quaisquer rissóis se entregam de alma e coração, como nenhum outro prato, tanto a coisas muito boas, como a coisas menos boas… É o upcycling aplicado, e bem, à … Ler mais

É a Vida a Acontecer

Olha para o telefone. O ecrã diz-lhe de quem se trata: Teresinha.

– Olá amor do pai.

– Pai, ele está a bater-me. Pai, ajuda-me.

– Ele quem, Teresinha! Quem filha?

– Ele, pai, o Mário… Ai, bruto…

Do outro lado da linha não veio mais informação útil. Um transeunte prestável avisou em que rua estava.

– Teresinha, querida, não saias daí que o pai já está a caminho, vou apanhar o autocarro e logo, logo estou aí. Não saias … Ler mais

Ameijoas à Bulhão no Prato

Bulhão, para quem não sabe, é um indivíduo que anda à bulha ou é propenso a tal sempre que se lhe apresenta a oportunidade, ou sempre que a procura. Bulhões são indivíduos temperamentais, com o dito pelo na venta, hoje, muito contemporaneamente, designados de bullies. Têm o seu quê de violentos e são meio disfuncionais, na medida em que não são dotados das devidas competências sociais, aquelas que nos permitem não matar pessoas numa frequência diária. Ora – e … Ler mais

« Older posts

© 2021 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑