Mousse de Manga de Alpaca

Um pouco de história. Esta é uma receita que há muito encanta a função pública, bem como pessoas, como eu, que sonham com a possibilidade de ter ADSE. É uma mousse muito delicada, que poderia ser feita em cinco minutos, recorrendo apenas a uma única colher, uma faca e uma tigela, mas que propositadamente, para efeitos de progressão na carreira e de passar o tempo de expediente sem demasiado esforço, se alonga desmesuradamente. A maior delicadeza consiste precisamente no tempo … Ler mais

O Leão, a Vaca, a Cabra e a Ovelha ou Como um Carnívoro é Sempre Alguém que Mata

Vedeta conferiu a agenda no tablet. Estava relativamente livre, à exceção de uma reunião, marcada há já algumas semanas, com três colegas com quem planeava uma parceria bastante interessante. O conceito era simples: criar um modelo de interajuda, com base numa plataforma de parceria e de divulgação do trabalho coletivo online, que permitisse que todos beneficiassem. Pretendia-se que o proveito do esforço coletivo multiplicasse a visibilidade do trabalho de cada um individualmente e aumentasse os lucros de todos os envolvidos. … Ler mais

Canja de Conquilhas?

Adoramos um bom, ou mesmo mediano desafio. Perdemo-nos por um quebra-cabeças. Pelamo-nos, de verdade, por uma charada. Sentimo-nos, até, atraídos por um contrassenso. Isto, todavia, vai muito além de tudo isso. Este é um labirinto sem saída, daqueles infernais ao estilo de Kubrick, em Shining, ou outros com jardinagem mais cuidada. Como avançar para uma canja quando, por definição clássica e até tradicional, esta exige galinha? Pode dizer-se caldo de galinha, mas logo que se diz canja, esta já dispensa … Ler mais

Já Era Natal… Outra Vez

Tinha apenas fechado os olhos. Um segundo? Não mais do que isso, estava certa. Podiam ter sido cinco minutos, vá, que o tempo é traiçoeiro e a sua cabeça funcionava num outro fuso horário, mas… Aquilo era ridículo e desprovido de qualquer pingo de lógica. Não havia explicação, nem recorrendo à fantasia. Como é que o calendário anunciava já de novo o 25 de dezembro para daí a uns dias? Estaria louca? Teria terminado mais uma volta inteira em torno … Ler mais

Peras Bêbedas Que Nem Um Cacho

Alerta à navegação: o álcool é para as peras, daí se adjetivarem de bêbedas que nem cachos, e não para o cozinheiro. Se reparar, a receita nem fala do cozinheiro, quanto mais das doses de álcool que lhe estão destinadas. Nós só percebemos cabalmente essa parte depois, pelo que… enfim, faremos o melhor que conseguirmos.

Tem peras? Estão bêbedas? Parecem, não parecem? Agrupam-se, na sua alegre perceção, que nem uvas num tacho? Perdão, num cacho? Então já tem tudo. A … Ler mais

O Cão e a Ovelha ou Sobre Como a Justiça é Apenas Vesga e Não Cega

Esta é, infelizmente, uma história batida. Tão batida que já nem dor sente, de tão repetitivas que são as vergastadas diárias e os abusos, incluindo de linguagem. Podia contar-se em três tempos, mas como temos vagar, fazemo-lo em um pouco mais, que os detalhes e um bom relato, nestas coisas, são de valorizar. Se não apreciar o slow-reading nem miudezas, pode saltar que o comboio ainda mal começou a andar.

Podia igualmente resumir-se a três personagens, o Manel, a Maria … Ler mais

Bochechas de Porco Preto Que Só Comeu Bolotas

O primeiro reparo surge na forma de pergunta: Porquê bochechas? Há assim tanta necessidade de aproveitar todo o centímetro de matéria orgânica do animal? É assim tão imprescindível descarnar-lhe as faces? Só me ocorrem as pungentes criações de Francis Bacon – curiosamente também ele com nome de fumeiro suíno –, com os seus descarnamentos de genialidade talhante. Acontece que essas são para admirar, para embarcar em temas filosóficos sobre a moral, a beleza e a arte e discutir e argumentar … Ler mais

« Older posts

© 2022 Absinto Muito

Theme by Anders NorenTopo ↑